Música e Adoração

A ESSÊNCIA INTERIOR DA ADORAÇÃO (The inner essence of worship)

A essência interior da adoração

The Inner Essence of Worship (John Piper/ Tradução e adaptações: Ramon Chrystian A. Lima)
By John Piper. © Desiring God. Website: desiringGod.org 

No novo testamento o foco está na adoração interior, vejamos:

A adoração não é geográfica

Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus.
Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.  (João 4:21-23)
 
Não importando o lugar, se é em um templo ou não, com muitas ou poucas pessoas ou sozinho.

Adoração que não vem do coracão é vã e vazia, não é autêntica e torna-se nula

Jesus disse: Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens. (Mateus 15:8-9)

Consagração de vida

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. (Romanos 12:1)
 
Então, a essência não está nas atividades da igreja, mas em expressões diárias de fidelidade a Deus (vida sexual, maneira como lidamos com o dinheiro, manter os votos do casamento, testemunhar de Cristo,etc.).

Que experiência é essa da adoração interior? 

Se não é essencialmente um ato externo, mas uma experiência do coração, que experiência é essa?

Que experiência revela a glória e a grandeza de Deus na nossa vida?

 

Precisamos ler Filipenses 1.20-21
 
O meu grande desejo e esperança são de nunca falhar no meu dever, para que, sempre e agora ainda mais, eu tenha muita coragem. E assim, em tudo o que eu disser e fizer, tanto na vida como na morte, eu poderei levar outros a reconhecerem a grandeza de Cristo. Pois para mim viver é Cristo, e morrer é lucro.

EXALTANDO A CRISTO PELA VIDA E PELA MORTE

Portanto, a questão agora é: Será que Paulo nos quer dizer que tipo de experiência interior exalta Cristo dessa maneira? Será que ele revela a essência da adoração? 
 
Veja a maneira como o v. 21 está conectado com o versículo 20:

E assim, em tudo o que eu disser e fizer,Tanto na vida PORQUE o viver é Cristo

E assim, em tudo o que eu disser e fizer,Tanto na morte PORQUE morrer é ganho 

Tanto na morte PORQUE morrer é ganho

A essência da adoração na morte
v. 23 “Estou cercado pelos dois lados, pois quero muito deixar esta vida e estar com Cristo, o que é bem melhor.”
 
A expectativa de encontrar com o Senhor e ter intimidade com ele, vê-lo face a face, este experimentar Cristo no ganho da morte amplia e glorifica a Cristo.

Estimar Cristo como um ganho maior do que tudo que a vida pode oferecer:

-família
-carreira
-aposentadoria
-fama
-comida
-amigos
 
Deus é glorificado em nós quando nós nos satisfazemos nele.
 
Cristo será louvado em minha morte, se na minha morte, ele é valorizado acima da vida. A essência interior de adoração é valorizar a Cristo. Estimando-o, valorizando-o, estando satisfeitos nele.

Tanto na vida PORQUE o viver é Cristo

O que é isso?
 
Filipenses 3.8,9a nos dá a resposta:
E não somente essas coisas , mas considero tudo uma completa perda, comparado com aquilo que tem muito mais valor, isto é, conhecer completamente a Cristo Jesus, o meu Senhor. Eu joguei tudo fora como se fosse lixo, a fim de poder ganhar a Cristo e estar unido com ele.

O INSUPERÁVEL VALOR DE CONHECER A CRISTO

"Viver é Cristo" significa contar tudo como perda de agora, nesta vida, em comparação com o valor de ganhar a Cristo. Você vê a palavra "lucro/ganho" aparecendo aqui novamente em 3:08 tal como aconteceu em 1:21? "viver é Cristo" significa experimentar Cristo tendo-o agora, não apenas na morte.

A ESSÊNCIA

A autentica essência, interior da adoração é estar satisfeito com Cristo, valorizando a Cristo, valorizando a Cristo como um tesouro. 
 
Na vida, precisamos:
  • Desejar a satisfação em Deus
  • Ter  Deus como nosso prêmio, nosso tesouro
  • Procurá-lo como alimento para nossa alma
  • Para o coração, o deleite
  • Para o Espírito, o prazer
  • Valorizar Cristo como lucro o amplia, exalta e o  adora.

IMPLICAÇÕES PRÁTICAS DA ESSÊNCIA

1. A busca da alegria em Deus não é opcional. É o nosso maior dever.

Por isso a atitude básica de culto no domingo não é para vir com as mãos cheias para dar a Deus, mas com as mãos vazias, para receber de Deus. E o que você recebe na adoração é Deus, não o entretenimento. Você deve vir com fome de Deus.
 

2. Outra implicação de dizer que a essência da adoração é a satisfação em Deus é que a adoração torna-se radicalmente centrada em Deus.

Se o foco muda para nossa doação a Deus, um resultado que eu já vi uma e outra vez é que sutilmente não é Deus que permanece no centro, mas a qualidade da nossa doação. Eis algumas perguntas que podem nos desviar do foco… (embora sejam legítimas)

Estamos cantando dignamente ao Senhor? Estamos cantando bem?

Estão os nossos instrumentistas tocando com qualidade? 

A pregação está sendo uma oferta adequada ao Senhor?

E pouco a pouco o foco muda e vai para fora da indispensabilidade absoluta do próprio Senhor para a qualidade de nossos desempenhos. 

Começamos a definir excelência e poder na adoração em termos de distinção técnica de nossos atos artisticos.

3. A terceira implicação de dizer que a essência da adoração é a satisfação em Deus é que ele protege a primazia do culto como um fim em si mesmo.

Se a essência da adoração é a satisfação em Deus, então a adoração não pode ser feita como um meio para qualquer outra coisa. Porque isso significaria que você não está realmente satisfeito em Deus, mas em que outra coisa. Podemos colocar outras coisas em primeiro lugar desonrando a Deus e não o adorando autenticamente:
  • Podemos cultuar para atrair multidões
  • Curar feridas humanas
  • Recrutar trabalhadores para o Reino de Deus
  • Ensinar os filhos no caminho da justiça
  • Ajudar na manutenção dos casamentos
  • Evangelizar os perdidos no meio de nós
  • Para dar oportunidade aos músicos talentosos de cumpir sua vocação
  • Motivar as pessoas
  • Dar a nossas igrejas um sentimento de família
Não podemos dizer à esposa: "Eu sinto deleite em você porque você vai me fazer uma refeição gostosa." 

Não podemos dizer ao filho: "Eu adoro jogar bola com você porque você vai cortar a grama." Se o seu coração realmente tem prazer em jogar a bola com ele, o brincar não pode ser realizado como um meio para conseguir que ele faça outra coisa. O prazer está na companhia do filho… a bola é só um meio para ficar com o filho.

A ADORAÇÃO TRAZ CENTENAS DE BONS EFEITOS NA IGREJA, MAS PRECISAMOS NOS SATISFAZER PRIMORDIALMENTE EM DEUS, NA PRESENÇA DELE E EM CONHECER A ELE CADA DIA MAIS E MAIS. 

Que venhamos a ter o mesmo sentimento de Davi retratado no SALMO 63: 1-8
 
Ó Deus, tu és o meu Deus; procuro estar na tua presença. Todo o meu ser deseja estar contigo; eu tenho sede de ti como uma terra cansada, seca e sem água. Quero ver-te no templo; quero ver como és poderoso e glorioso. O teu amor é melhor do que a própria vida, e por isso eu te louvarei. Enquanto viver falarei da tua bondade e levantarei as minhas mãos a ti em oração. As tuas bênçãos são como alimentos gostosos; elas me satisfazem, e por isso canto alegremente canções de louvor a ti. 

Quando estou deitado, eu lembro de ti a noite toda porque sempre me tens ajudado. Na sombra das tuas asas eu canto de alegria. A tua mão direita me segura bem firme, e eu me apego a ti.
 
Fonte da tradução: http://www.desiringgod.org/resource-library/sermons/the-inner-essence-of-worship 
Acesso em: 28 de janeiro de 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *