Música e Adoração

Grave sua Música!

Nos últimos anos, por conta das inúmeras produções tecnológicas para a música, as pessoas têm se gravado muito mais. O fato é que está muito mais fácil gravar e editar sua música. Até mesmo os tablets possuem recursos do gênero, tais como o Garage Band nos iPads.

Se você possui um hobby de tocar em casa ou tem uma banda, certamente alguma vez já pensou em gravar. Segue então algumas considerações para você que já pensou ou pensa em se aventurar nesta empreitada:

1- A IMPORTÂNCIA DE SE GRAVAR – Quando estamos tocando, principalmente se a música oferece dificuldades técnicas e de interpretação, temos grande tendência de se preocupar com os inúmeros fatores ocorrentes (tais como acordes, escalas, formas e timbres) do que com a sonoridade real de nossa produção sonora. Gravar-se e ouvir-se é um excelente exercício de auto-avaliação. Você poderá sentir melhor como está a fluência de sua musicalidade, pode rever trechos que devem ser melhorados e avaliar, com o tempo, o seu desenvolvimento fraseológico e musical.

2- EQUIPAMENTOS – Muitos se equivocam em adquirir inúmeros equipamentos para gravações e instrumentos. Há pessoas que seguem comprando várias coisas mês a mês e trocando indefinidamente tais itens. Para gravações simplificadas no estilo home studio, um computador, uma interface de áudio, um par de monitores, um bom microfone e seu instrumento são essenciais.

3- QUALIDADE MUSICAL – Não adianta muito ter inúmeros equipamentos, pedais, pedaleiras, etc. e não produzir um som de qualidade. Obviamente, a arte musical é algo abstrato, subjetivo e de certa forma introspectivo, mas se deseja alcançar os ouvidos alheios, certifique-se de utilizar os recursos técnicos-musicais de forma adequada. Isso inclui o estudo de percepção, harmonia, aprofundamento no instrumento etc. Outro fator imiportante é a imersão no estilo que se propõe a fazer. Se deseja tocar jazz, escute vários músicos jazzistas (Miles Davis, Herbie Hancock, Chick Corea, Dizzy Gillespie, etc.), se blues, escute grandes mestres (B.B.King, Buddy Guy, Albert King, Steve Ray Vaughan, etc).

4- LIBERDADE – Gravar regularmente expande a liberdade para suas criações, uma vez que não necessita ter uma banda ao lado para você criar sua própria música. Neste processo, para aqueles que precisam de concentração para criar, fica muito mais fácil do que compor em uma sala cheia de músicos. Outra vantagem, é apresentar uma demonstração gravada de uma nova composição aos membros da banda, eles podem ouvir em um outro momento fora do ensaio, o que poupa tempo e desgaste para ensinar a nova música.

Boa sorte nesta jornada!
Ramon Chrystian

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *