Devocionais

Tu mesmo foste um deles (Spourgeon)

“Tu mesmo foste um deles” (Obadias 1:11)
Edom devia tratar Israel com camaradagem em tempos de necessidade, mas em vez disso, os homens de Esaú cooperaram com os inimigos de Israel.  Uma ênfase especial é colocada na palavra “tu ” da frase diante de nós, da mesma forma que César gritou para Brutus: “Até tu, Brutus?”; uma atitude ruim pode ser a pior de todas por causa da pessoa que a cometeu. 
 
Quando nós pecamos, nós que somos os amados escolhidos dos céus, pecamos de modo marcante; o nosso pecado é uma ofensa gritante, pois somos estranhamente indulgentes.
 
Se um anjo colocasse sua mão sobre nós quando estamos praticando o mal, não precisaria usar qualquer outra repreensão além da pergunta: “Até tu? Que fazes tu aqui?”
Tão perdoados, tão libertados, tão instruídos, tão enriquecidos, tão abençoados; ousaremos oferecer nossas mãos para a prática do mal? Deus o proíba!
 
Alguns minutos de confissão nesta manhã podem te ser benéficos, pobre leitor.
 
Nunca foste como o perverso? Quando certos homens, numa festa, riam de coisas indecentes e a piada não era assim tão ofensiva aos teus ouvidos, até tu foste como um deles. Quando coisas ofensivas foram ditas sobre os caminhos de Deus, tu ficaste acanhadamente silencioso; e assim, para os espectadores, tu foste como um deles. No comércio, quando homens do mundo faziam negócios escusos, não foste tu como um deles? Quando corriam com pés ligeiros atrás de coisas vãs, não foste tão ganancioso quanto eles?
 
Poderia ser vista alguma diferença entre tu e eles? Existe alguma diferença?
 
Eia, vamos às trincheiras! Sê honesto com tua própria alma, e deixa claro que és uma nova criatura em Cristo; mas, quando isto for certo, anda zelosamente, para que ninguém seja capaz de dizer novamente: “Até tu foste um deles”.
 
Se não desejas compartilhar a sua condenação eterna, por que, então, ser como eles? Não entres na sua dissimulação para que não te envolvas na sua ruína. 
 
Fique com o afligido povo de Deus, e não com o mundo.
 
Charles Haddon Spurgeon
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *