Notícias & Eventos

Curso de Regência – Solo Tutti – Conservatório Brasileiro de Música

Repertório para "ensemble" envolvendo instrumentos e vozes.

Professor Maestro Eduardo Lopes

18 a 23 de julho de 2011
Entre a música de câmara e a formação orquestral/coral, o ensemble se impõe no século XX como uma formação com grande força de expressão onde a noção de "naipe" tende a desaparecer. Cada membro, instrumentista ou cantor passa a se posicionar mais como um solista favorizando uma implicação e autonomia até então pouco comuns.

Formações com este perfil estão a serviço de diversos repertórios, particularmente antes do período clássico e a partir do século XX. Em função do número de participantes, instrumentação e técnica de composição de cada obra, a presença de um regente se impõe tanto na preparação quanto no concerto. Esta semana de trabalho tem por objetivo aparelhar regentes, intérpretes e compositores para este tipo de prática onde clareza e concisão são qualidades indispensáveis. Além da regência, noções históricas, descoberta de repertório, análise de obras, e outros aspectos serão abordados passando por problemáticas específicas como a luteria antiga revisitada ou ainda a música mista onde o material pré-gravado, a eletro-acústica e a informática em tempo real merecem uma atenção especial.

 
Público alvo: Regentes, instrumentistas, cantores, compositores e pedagogos interessados pelo repertório do século XX e pela criação contemporânea. Aberto à todos os níveis – Alunos ativos e ouvintes a definir durante o curso.
 
Data: 18 a 23 de julho de 2011
Horário: 10h às 13hs e 14:30hs às 17:30hs
Carga horária total: 36 horas
 
Inscrições: 
R$ 300,00
R$ 250,00 – Prof da Rede Pública de ensino
R$ 200,00 – Alunos e prof. do CBM-CEU
 
Departamento Cultural
(Ana Paula Cabral ou Natasha Sauma)
Telefone: (21) 3478-7600
E-mail: cultural@cbm-musica.org.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. 
 
Sobre Eduardo Lopes 
Nasceu no Rio de Janeiro. Instrumentista, maestro e compositor, ele começa sua carreira de regente à frente de diferentes grupos vocais e instrumentais com os quais ganhou prêmios, criou obras, espetáculos, realizou gravações e tournées internacionais.
Interessado pela musica contemporânea, ele obtém em 1992 uma bolsa do governo francês para um ciclo de aperfeiçoamento de 5 anos em regência onde ele obtém com menção honrosa o Diplôme National d’Études Supérieures Musicales (DNESM) – mais alto diploma de estudos musicais daquele país. Durante seus estudos e imediatamente após a obtenção de seu diploma ele trabalha com maestros como Gilbert Amy, Peter Eötvös, Zsolt Nagy, Michel Tabachnik, Michel Tranchant e Bernard Têtu, personalidades que marcaram profundamente sua concepção da regência.
Do lírico ao sinfônico passando pelo oratório e pela música contemporânea, suas experiências e centros de interesse demostram uma grande abertura. A voz é também uma de suas maiores paixões, o que o leva a colaborar regularmente com cantores solistas, grupos vocais e corais. Com mais de uma centena de primeiras audições sob sua direção alguns de seus projetos como o CD Madrigali com o ensemble Poïesis de peças contemporâneas para luteria antiga recebeu os "5 diapasons" da crítica francesa em 2009. A partir de março de 2011 dirigirá o ensemble Philidor (especializado em instrumentos originais do período clássico) no programa Gran-Partita de Mozart e Nuits-Cassation de Daniel D’adamo – peça contemporânea para instrumentos antigos – numa tournée com concertos em Genebra, Salzburgo, Nova Iorque… Foi nomeado em 2010 conselheiro pedagógico e professor de regência no Conservatório de Bordeaux – França.
No Brasil criou ou regeu grupos vocais como O Coro Come, Figuras, grupo Beijo – Coralusp, coro da Universidade Sta. Ursula, coral Shell e na Europa foi o criador do Ensemble Instrumental de Barcelona, Ensemble orquestral Attacca e do Ensemble vocal Gondwana. Enquanto maestro convidado, colaborou com importantes instituições e orquestras como: Orchestre National de Lyon; Cité da la Musique – Paris; l’Opera National de Lyon; Janacek Philarmonika – Ostrava; Ensemble Modern – Francfort; Ensemble Philidor – Tours; Orchestre Symphonique Lyonnais; Orchestre du CNSM de Lyon; Orchestre Lyrique de région Avignon-Provence; Orchestre du festival Pirineos Classic – Saragossa; Atelier du XXème siècle; Percussions Claviers de Lyon; Ensemble Poiësis; Fondation Phonos – Barcelona; Cercle Philharmonique de Chambéry; Solistes de Lyon – Bernard Tetu; entre outros.

Fonte: Conservatório Brasileiro de Música
Site: http://www.cbm-musica.org.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *