Motivação em foco II – Para professores

MOTIVAÇÃO EM FOCO II – PARA PROFESSORES DE EBD – ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

Muitos professores capengam por falta de motivação. Creio que nossa maior motivação enquanto professores é a de compreender que estamos colaborando para formar novos discípulos de Jesus.

Desejo expor aqui alguns pontos importantes. Tais pontos, se colocados em prática, podem ajudar você a motivar sua equipe, fazendo seus alunos se sentirem bem e consequentemente aprenderem e se desenvolverem melhor.

 PRINCIPIOS PARA MOTIVAR A SUA TURMA: 

O escritor John Maxwell em um de seus livros escreve: “As pessoas, de início, não seguem causas merecedoras, mas seguem líderes merecedores que defendem as causas nas quais possam acreditar. As pessoas, primeiro, compram o líder e, depois, a visão do líder”.

O princípio chave para que tenhamos sucesso como professores é que antes de ensinar na sala de aula devemos ensinar com a vida.

Ao verem a busca do professor em viver aquilo que ensina, os alunos terão a oportunidade de ingressar na mesma jornada.

Seguem alguns outros princípios para motivarmos nossos alunos:

 1- ESPERE O MELHOR DAS PESSOAS QUE VOCÊ LIDERA.

O famoso escritor Goethe escreveu algo que foi comprovado mais tarde por Robert Rosenthal, psicólogo de Harvard: “Trate um homem como ele aparenta ser e você o fará pior. Mas trate um homem como se ele já fosse o que poderia chegar a ser, e você o transforma no que ele deveria ser”.

Precisamos estar promovendo um ambiente de crescimento dentro de nossos ministérios, onde as pessoas possam desenvolver suas capacidades, ficarem mais maduras, mais autoconfiantes e mais parecidas com Jesus.

“No fundo do peito de cada pessoa há o impulso de chegar a algo, de ser alguém. E este é um excelente ponto de partida para o motivador” (Alan Loy Mcginnis).

2-IDENTIFIQUE AS NECESSIDADES DO SEU GRUPO.

Uma das principais funções de um líder é identificar e procurar atender as reais necessidades do seu grupo. Você constrói um plano de motivação se você conhecer mais sobre os seus liderados. Conhecer suas expectativas, seus anseios e suas dificuldades. É interessante observar que a história de cada pessoa esclarece muito das suas atitudes do presente. Portanto, aprender a ouvir é essencial neste processo e demonstra o quanto você valoriza as pessoas.

3-ESTABELEÇA OS VALORES
É Necessário ter firmeza no padrão dos valores bíblicos, mas deve-se ter bom senso para agir com sabedoria, procurando servir e não se portar como um cão de guarda intransigente e arrogante perante o grupo. As filosofias são interessantes como uma forma de ajudar na didática das lições, mas não podem tomar o lugar do texto bíblico. Vivemos em um mundo recheado de discursos filosóficos. Muitas vezes estes discursos acabam tomando o lugar central da palavra de Deus. Muitos livros seculares são citados, pessoas inteligentes citadas, etc. Mas nunca substituirão a palavra de Deus, que é nossa regra de fé e prática. Seja bíblico.

4-ENSINE – OS A FALHAR COM INTELIGÊNCIA

Precisamos criar um ambiente onde cometer falhas não seja fatal. Quando as pessoas falham, o motivador tem uma grande oportunidade de exercer seu papel. Transmita perseverança, confiança e entenda que os erros fazem parte do processo de crescimento e aprendizagem. Vivemos num mundo hostil e é importante que as pessoas se sintam seguras para falar e serem ouvidas. Esta segurança tem a função de inibir o seu medo de falar no desenrolar dos estudos.

5- CUMPRIMENTOS COM EQUILÍBRIO

Elogios e cumprimentos não devem ser feitos de forma demasiada, mas ajudam a motivar, se feitos com sinceridade e bom senso.

• Faça os elogios em público;
• Celebre os êxitos – Devemos celebrar nossas realizações.
• Talvez um cumprimento por escrito seja uma opção interessante para demonstrar que você se importa com a pessoas, motiva, cumprimenta, etc.
 • Seja bem concreto: “Fiquei feliz com sua dedicação neste trimestre, você tem sido exemplo para a turma”.

6- REPREENSÃO COM EQUILÍBRIO

Devemos cumprimentar mais do que criticar, mas a crítica exerce um importante papel no processo de crescimento. A repreensão instrutiva consiste em advertir e mostrar às pessoas o que deve ser feito.

“Esteja certo de que você está ensinando as pessoas a evitarem certo comportamento, não a evitar você” (Alan McGinnis).

Mantenha sempre um relacionamento caloroso e de confiança com seus liderados. O sentido da repreensão é mostrar as conseqüências de determinado comportamento e incentivá-las a caminhar por caminhos bem aplanados.

7-CONSIDERAÇÕES GERAIS PARA COOPERAÇÃO MÚTUA

·         Devemos construir uma lealdade recíproca entre os alunos. 

·         O professor eficiente precisa tornar os alunos responsáveis uns pelos outros, formando uma família. É o sentimento de responsabilidade da equipe. 

·         Uma equipe altamente motivada confia em seu professor e sabe que ele é leal a ela.

·         Evite fazer promessas. Se fizer, Cumpra-as.

·         Seja justo sempre. Nunca elogie ou distribua “recompensas” injustamente ou por conveniência.

·         Devemos conciliar alegria com eficiência no trabalho de estudos.

·         Planeje ocasiões para que as pessoas saiam juntas. Isto ajuda nos relacionamentos, a criar laços de amizade, etc.

Se sua turma anda desanimada, comece orando a Deus pedindo a ele que dê sabedoria para trabalhar na situação. 

Procure se reciclar, manter um estudo constante da bíblia, ler bons livros, manter-se atualizado e fazer novos cursos. Amplie seus horizontes e tenha um conteúdo sólido para passar. 

Planeje sua aula. Aulas sem planejamento pode ser uma grande perda de tempo e facilita para que você caia em descrédito. Lembre-se: o aluno sabe quando o professor está preparado e sabe quando ele está despreparado. 

Por mais difícil que seja a situação da turma, creia que deus pode operar se colocarmos à disposição dele todo nosso trabalho:

“Não sabes, não ouviste que o eterno deus, o Senhor, o criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento. Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os moços certamente cairão; mas os que esperam no senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.” (isaías 40: 28-31).

Que Deus nos abençoe.
Ramon Chrystian de A. Lima

Bibliografia:
Mcginnis, Alan Loy- Como despertar o melhor das pessoas- 2° ed.RS: Editora Sinodal, 1986

 

Be the first to comment on "Motivação em foco II – Para professores"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


%d blogueiros gostam disto: